Pages

Tradutor De Idiomas:

Sunday, October 2, 2011

1h10 – Guns N' Roses Rock In Rio


Expoente do hard rock, a banda do problemático Axl Rose não deve fazer um show diferente daquele realizado em 2001. A diferença será a inclusão de músicas do álbum "Chinese democracy", ou seja, uma apresentação similar a que os brasileiros viram no ano passado, quando o grupo passou pelo país. Também não deixe de esperar um pouco para a banda subir ao palco - o show deles no Rio, em abril de 2010, atrasou duas horas.
Tecnicamente, a apresentação é impecável. São vários telões usados e diversos efeitos de palco, como explosões, chuval de papel picado e fumaça. A voz de Axl não é a mesma há anos, mas ele segura hits das antigas como "Patience", "Paradise city" e "Sweet Child O' Mine".
O grupo costuma preparar algumas surpresas quando se apresenta no Rio: em 2001, o guitarrista tocou "Sossego", de Tim Maia, e, no ano passado, o Hino Nacional.

23h10 - System of a Down Rock In Rio


O som é pesado, mas os riffs de Daron Malakian na guitarra e os vocais de Serj Tankian fazem a californiana System of a Down uma banda de heavy-metal cheia de hits bem tocados nas rádios e programas musicais de TV: “Chop suey!”, “Aerials”, “Toxicity”... todas do segundo álbum de estúdio do grupo, “Toxicity”, lançado em setembro de 2001.
De origem armênia, os músicos se juntaram em 1994. O primeiro disco, auto-intitulado, sairia quatro anos depois. E, após “Toxicity”, lançaram ainda “Steal this album!” (2002), Mesmerize e Hypnotize (ambos de 2005) – entre os sucessos desses discos, “B.Y.O.B.”
Em 2006, a banda entrou num período de inatividade, marcado por projetos solos dos integrantes. Voltou a fazer shows em 2011, e já entrou para a escalação do Rock in Rio.

21h40 - Evanescence Rock In Rio


A banda de metal liderada por Amy Lee tem um público cativo no Brasil, então é garantida a presença de (muitos) fãs do grupo - em especial, meninas. Ela promete cantar os sucessos dos álbuns "Fallen" (2003) e "The open door" (2006), como "Going under", "Bring me back to life" e "My immortal".
Também são esperadas faixas do terceiro trabalho de estúdio da banda, que chega às lojas neste mês. O single "What you want" está garantido no set list.

20h - Pitty Rock In Rio


A cantora baiana leva para o Palco Mundo a estrutura do DVD-CD ao vivo "A trupe delirante no Circo Voador", gravado na casa de shows do Rio de Janeiro e lançado neste ano.
Fazem parte do repertório do disco músicas como "Fracasso", "O lobo", "Comum de dois" e "Me adora", que fechou a apresentação.
Embora tenha deixado de fora músicas do começo de sua carreira, o setlist no festival deve incluir hits como "Máscara", "Equalize", "Na sua estante", "Teto de vidro" e "Semana que vem".

18h50 - Detonautas Rock In Rio


Em sua página oficial na web, os integrantes do grupo carioca Detonautas Roque Club garantem que pelo menos três faixas inéditas devem aparecer durante sua apresentação no Palco Mundo do Rock in Rio. Uma espiada na página do grupo no Soundcloud dá uma idéia de quais podem ser: "Conversando com o espelho", "Sua alma vai vagar por aí!" e "Um cara de sorte".
Além dessas novidades, o grupo liderado por Tico Sta. Cruz não deixará de fora os hits que fizeram dele um dos grupos brasileiros de rock mais populares dos anos 2000: “Outro lugar”, “Quando o sol se for”...

Maroon 5 Rock In Rio 01/10/11

Maroon 5 apresentou sucessos no festival. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra


Abrindo com um ritmo dançante, a banda americana Maroon 5 deu início à penúltima apresentação da noite deste sábado (1) no Rock in Rio. A plateia só reagiu efetivamente na balada Sunday Morning e com os sucessos Misery e Makes Me Wonder.
Maroon 5 foi escolhida de última hora para tapar o buraco deixado pelo rapper Jay-Z, que desistiu de ir ao Rock in Rio. A banda americana abriu o show por volta das 23h20 com a música Moves Like Jagger, uma referência ao vocalista dos Rolling Stones, Mick Jagger.
A música original conta com a participação da cantora Cristina Aguilera. Para compensar a voz fraca, o vocalista Adam Levine se moveu bastante no palco, largando falsetes no fim das frases. O show da banda deu continuidade a uma espécie de clima "luau" instalado após os mexicanos do Maná.
O Maroon 5 continuou empolgando o público com She Will Be LovedThis LoveWon't Go Home Without You e outros sucessos.


Shakira Rock In Rio 2011

Shakira voltou a 1996 ao entrar no Palco Mundo do Rock In Rio, para encerrar a programação desta sexta-feira (30). A colombiana trocou a tradicional introdução com a melancólica "Pienso En Ti" por uma versão dance de seu primeiro sucesso no Brasil, "Estoy Aqui", do disco "Pies Descalzos". Shakira já não cantava a música desde o final da turnê "Oral Fixation Tour", em 2007, e atendeu aos pedidos dos fãs que não ouviram o hit em sua última excursão no Brasil, em março deste ano. A cantora subiu ao palco à 1h56 com sua apresentação baseada na turnê "The Sun Comes Out World Tour", mas com algumas alterações para uma hora e quarenta de show. Entre elas --além do hit "Estoy Aqui"-- a inserção de uma animada versão de "País Tropical", clássico de Jorge Ben Jor, com participação de Ivete Sangalo, outra cantora responsável pelos melhores momentos da noite.
Apoiada por uma banda de oito pessoas, Shakira só interrompeu seu rebolado para assumir o violão na balada "Inevitable" e para tocar gaita em "Te Dejo Madrid". Como de costume, Shakira convidou seis garotas para subir ao palco e dar uma aula de dança para as fãs, cantando "Whenever, Wherever". E mais pessoas subiram ao palco no encerramento com "Waka Waka".
 
A versão acústica para "Nothing Else Matters", do Metallica --quando a cantora veste uma saia e incorpora a cigana de pés descalços-- deu uma quebrada no ritmo do show, mas refletiu o perfil multifacetado que define seu estilo, passando entre o irresistível reggaeton "La Tortura" e o flamenco de "Gypsy" ao eletrônico de "She Wolf".
No palco, Shakira veste o papel de mulher fatal e explode em sensualidade sem ser vulgar. Contorce o corpo em uma aula de dança do ventre que hipnotiza homens e mulheres. Nem a espontaneidade programada de discursos como "hoje estou aqui para satisfazê-los", que faz parte do roteiro de seus shows desde o início, compromete seu carisma.